Tel. (11) 3291-4433

Missão

DA MISSÃO, VISÃO, VALORES E DIRETRIZES

A Associação Franciscana tem como missão “promover ações e atitudes de solidariedade com os empobrecidos e excluídos, contribuindo para a transformação social, à luz do modo franciscano de viver e anunciar o Evangelho”.

A visão que a Associação Franciscana persegue para o cumprimento de sua finalidade é de ser uma “ação social fundamentada nos direitos sociais, humanos e ambientais, a partir dos princípios cristãos franciscanos, voltada para a construção da justiça socioambiental”.

 

Para o cumprimento de sua missão, a Associação Franciscana se baseia nos valores:

  • Inserção, testemunho e gratuidade;
  • Direito, justiça e caridade;
  • Beleza, bondade e simplicidade;
  • Acolhida, cuidado, diálogo e compromisso;
  • Dignidade humana, bem comum, solidariedade e subsidiariedade;
  • Conversão, fraternidade universal e saciedade;
  • Confiança, liberdade e partilha;
  • Desejo, paixão e intuição.

 

As ações da Associação Franciscana pautar-se-ão pelas diretrizes:

  • Valores evangélicos franciscanos como metodologia de transformação da sociedade;
  • Respeito à dignidade da pessoa, sua liberdade e seu direito à autonomia e emancipação;
  • Valorização das potencialidades de cada pessoa e seus vínculos;
  • Exercício constante da reflexão sobre o trabalho, à luz da missão, da visão, dos valores e das diretrizes;
  • Construção de ações que atendam a pessoa na sua integralidade;
  • Não se deixar manipular por princípios político-ideológicos contrários aos valores evangélicos franciscanos;
  • Não estabelecer parcerias com organizações fundamentadas na mercantilização da vida e que atentam contra a cultura de paz;
  • Investimento em encontros de formação na ótica da mística cristã franciscana, bem como no horizonte das questões conjunturais, políticas, culturais e históricas;
  • Mobilização, apoio e participação em torno das causas socioambientais, numa articulação entre serviços e projetos mantidos pela associação com entidades, pastorais, poder público e movimentos sociais;
  • Atuação nos espaços de controle social – conselhos, comitês, redes, fóruns e conferências, em vista da efetivação de políticas públicas que garantam vida digna às pessoas em situação de vulnerabilidade social;
  • Adesão da cosmovisão da ecologia integral nos planejamentos institucionais.