Tel. (11) 3291-4433

XI Festival Cultural: “A vida é arte do Encontro”

  • sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

Os últimos dias do ano de 2019 foram marcados pela 11ª edição do Festival Cultural SEFRAS Rio de Janeiro. O evento, que aconteceu no Teatro Santa Cecília em Petrópolis, reuniu as crianças e adolescentes dos serviços: Gente Viva (Petrópolis) e dos Centros Infantis São Gabriel e Santa Clara de Assis (Duque de Caxias). A noite foi repleta de apresentações artísticas, esportivas e culturais e tinha como principal objetivo divulgar os trabalhos realizados ao longo do ano, reforçando a arte como um excelente meio educacional de transformação social.

A temática do festival foi “A vida é a Arte do Encontro” tendo as expressões artísticas construídas também em consonância com o tema anual – “Fraternidade, Culturas e Religiões”. Em 1219, Francisco de Assis foi ao encontro do Sultão e ambos protagonizaram o primeiro encontro inter-religioso da história, mostrando à humanidade a possibilidade do diálogo e da paz.  E, pela Campanha da Fraternidade, (Fraternidade e Políticas Públicas), que denuncia a falta de políticas públicas na assistência social, os direitos sendo violados: violência de todo o tipo, física, psicológica, preconceitos e xenofobia.

Para Regina Moreira, coordenadora do SEFRAS Gente Viva Petrópolis “o espetáculo foi emoção desde a abertura! O momento foi muito esperado e preparado com carinho pela comunidade e reforça nossa identidade de Serviço Franciscano de Solidariedade na promoção de ações e atitudes de solidárias que contribuem com a transformação social, sempre na perspectiva dos direitos humanos embasados nos princípios franciscanos”.

Gratidão a todas as crianças, adolescentes, famílias, educadores, trabalhadores e parceiros pela dedicação e confiança no projeto. Vocês fazem parte desta história! Nossos agradecimentos também, ao Fundo Nacional de Solidariedade da CNBB por todo apoio e parceria.

A vida é a arte de se encontrar, a arte da sua vida, da minha vida, está em envolver-se com ela a ponto de enxergar o outro, com justiça social, amor e fraternidade.

Fotografia: João Braz