top of page
  • Foto do escritorMelissa Galdino

Casa Franciscana celebra vida de pessoas em situação de rua


A Casa Franciscana, um serviço do Sefras - Ação Social Franciscana e da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social de São Paulo (SMADS), celebrou hoje a vida das pessoas em situação de rua que têm atendido desde 2020, chegou a um marco de 1.016.822 refeições. O espaço, que está de cara nova, inicia uma nova fase cheia de expectativas positivas para aqueles que mais precisam, seguindo a missão de acolher, cuidar e defender a população em situação de rua.



Para celebrar a mudança, foi realizada uma benção no espaço para que todos possam estar unidos com a iniciativa em prol de quem mais precisa.


Segundo a participante Patrícia, a Casa Franciscana tem um significado especial: "Aqui é um ambiente que nos traz união. Sempre nos lembra o quanto a rua pode ser um multiplicador de coisas boas."




As crianças do Peri se apresentaram com violino, percussão e escaleta, executando um repertório diversificado que foi de "Baile de Favela" do MC João a "Morena Tropicana" de Alceu Valença. O SEFRAS Perfeita Alegria – Peri, localizado no Jardim Peri Alto, extremo norte da cidade de São Paulo, atende a 120 crianças e adolescentes (6 a 16 anos) no contraturno escolar e oferece oficinas, rodas de conversa, passeios culturais e atividades participativas com temas ligados à política, sociedade, cidadania, cultura e esporte.


Já Bete Cestari, uma doadora de longa data do Peri Alto, destacou: "É um prazer fazer parte da história e da vida dessas crianças. O talento de cada uma delas é nítido."


A Casa Franciscana foi criada em 2020, no Cambuci, como uma das estratégias do Sefras para atender às emergências sociais surgidas com a pandemia de COVID-19. Nos primeiros meses da pandemia, a cidade de São Paulo viu um aumento de 31% no número de pessoas em situação de rua. Segundo a Secretaria de Assistência Social, mais de 7.000 famílias ficaram desabrigadas entre 2020 e 2021.


Atualmente, a Casa Franciscana continua sendo essencial, pois a fome, a falta de moradia e desigualdade social ainda atingem milhares de pessoas que são obrigadas a viver nas ruas. Em São Paulo, são mais de 86.782 pessoas nesta situação, fazendo do estado a região mais crítica do país, conforme dados do Ministério dos Direitos Humanos e da Cidadania (MDHC). Além disso, o Brasil voltou a figurar no mapa da fome, segundo o relatório da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), refletindo o aumento significativo da insegurança alimentar no país.




Frei José comentou: "O momento de hoje tem o objetivo claro e importante de marcar a nossa chegada a este novo espaço. Hoje celebramos a resistência em permanecer aqui, pois este lugar se tornou um símbolo de acolhimento. Ajude-nos a manter este espaço de acolhimento, cuidado e defesa."


De acordo com o Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, a insegurança alimentar no Brasil caiu 30% este ano, resultando em 13 milhões de pessoas deixando de passar fome. No entanto, essa realidade ainda não reflete plenamente a situação das pessoas que atendemos, que permanecem em condições de extrema vulnerabilidade.




Serviços oferecidos pela Casa Franciscana:


- Média de 642 refeições mensais

- Atendimento social para uma média de mais de 400 pessoas

- Apoio psicológico

- Banhos

- Atividades socioeducativas



21 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page